Divergente e Insurgente, por Verônica Roth

ins divergenteFiquei muito em dúvida se escrevia as resenhas dos livros separadas ou não, mas percebi que a série deveria ser mencionada como um todo, o que me faz ficar triste por não ter lido Allegiant ainda (não publicado no Brasil, até agora).

A história retrata a vida de pessoas que vivem em uma Chicago futurística dividida em cinco facções: audácia, amizade, franqueza, abnegação e erudição. Ao completar 16 anos, os adolescentes passam por um teste de aptidão que indica qual facção ele pertence de acordo com sua personalidade e, em uma cerimônia, ele escolhe se segue o resultado do teste ou abre mão e se candidata a outra. Claro que nada é tão fácil e ainda é preciso passar por mais um teste, dessa vez de iniciação, se reprovado vira-se um sem-facção, o que é considerado praticamente uma maldição. Uma adolescente descobre que é divergente – pessoa que não se encaixa em qualquer uma das facções – e logo descobre segredos de uma sociedade aparentemente perfeita.

O primeiro livro, Divergente, é praticamente uma introdução de toda a história, fala de todos os personagens, da cidade e características das facções. Narrado pela Tris, personagem principal, o livro pode até se tornar chatinho ás vezes porque se descobre tudo junto com ela, aos poucos, então ao longo da leitura minha cabeça se enchia mais e mais de perguntas, o que me fazia querer prosseguir com a leitura o mais rápido possível. Claro que o final ia me deixar curiosa para ler o segundo, né? Engatei logo a continuação, Insurgente, e fiquei sem fôlego em vários momentos, tem muita ação, muita morte (essa autora adora um sangue, gente, não se apegue muito aos personagens) e reviravoltas, várias coisas que não se espera acontecem. O final é ma-ra-vi-lho-so e o terceiro tem tudo para ser o melhor da série. Muito ansiosa, estou quase lendo em inglês mesmo.

divergente

Agora quero falar na Tris-mais-que-demais. Que garota linda, estou apaixonada. Veronica Roth pegou todos os estereótipos de gênero fez picadinho, pisou em cima e depois tacou fogo. E não só na construção da personalidade da Tris, mas de todas as outras mulheres e até dos homens. Conseguiu também criar um romance em que o homem acredita completamente na capacidade e na força da mulher, os dois são independentes, dialogam, lutam e se amam! Quatro é o namoradinho e é simplesmente encantador. Se tiverem algum amigo parecido, por favor, me apresentem.

Beatrice, ou Tris, é forte, decidida, cheia de qualidades e pontos fracos. Ela é humana, se apaixona e não deixa que isto a cegue. Suas amigas não ficam atrás e várias passagens são engraçadas, como quando alguém vê que chamou a atenção de um menino e fala “ele olhou para mim como se eu fosse uma menina”, claramente ironizando esses aspectos ditos femininos. Eu como boa feminista tenho pavor da forma como retratam a mulher em livros (dá para perceber isso por AQUI) e fujo muito desses romances em que a personagem feminina é sempre vítima, resgatada e nunca heroína, então imaginem a minha euforia ao ler Divergente e Insurgente e me deparar com a Tris, depois de ter lido Cinquenta Tons de Liberdade, com a tapada da Anastasia Steele!!

É uma série que classificaria como sobre a mulher e para a mulher. Sem, por favor, essa distinção de “para menino” e “para menina”, mas nós precisamos MUITO de mais livros assim, para mostrar para os homens que eles não são donos do mundo e que a mulher é capaz. Tris entrou para a lista de personagens femininas bad-ass-my-pussy-é-o-poder que eu amo demais.

As questões sociais são tratadas de forma muito legal também, as facções tem tudo e os sem-facção nada, são invisíveis na sociedade. Assim como a questão de um adolescente escolher a facção que quer para a vida, o que se iguala ao nosso mundo real, onde nos é imposto uma escolha tão prematura e a partir de um vestibular decide-se uma carreira. A Tris vem então para dar um tapa na cara de todo mundo e dizer que tem um pouquinho de cada facção em sua personalidade, que pode descobrir-se e aceitar-se aos poucos, fundir tudo e tornar-se uma pessoa boa e completa.

Portanto, se rendam ao encanto dessa garota, logo logo eu volto com a resenha de Allegiant.

—-

Mais informações sobre a trilogia:

  • Convergente é o título nacional do terceiro livro e tem lançamento previsto para março de 2014, pela Rocco.
  • A adaptação cinematográfica tem estreia também em março, no dia 24 e tem no elenco Kate rainha Winslet (Jeanine Matthews), Shaileene Woodley (Tris Prior), Theo James (Quatro) e Maggie Q. (Tori).
  • Trailer Oficial Legendado:http://www.youtube.com/watch?v=DXoo7JMNY8o
Anúncios

  1. Bernardo

    E galera a resenha de convergente (allegiant) aqui no blog, será minha e nao da bia!!!!!!!

  2. Bernardo

    Bia se superou nessa resenha em!!!!!!!

  3. AMO Divergente! Só li o primeiro livro e já sou apaixonada, só estou esperando as férias para ler Insurgente. Amo tudo, a Tris, o Quatro, a escrita é simplesmente maravilhosa, nunca li nada igual, além disso achei genial a sociedade que ela criou, e sobretudo como ela conseguiu não fazer esse livro virar um livro de romance, mas sim um livro sobre descobrir a si mesmo e fazer um bom uso disso *-*
    Beijos!

  4. Olá!

    Adorei sua resenha. Li apenas o primeiro até o momento e adorei. Tivemos impressões bem parecidas. Também gostei muito da Tris e achei o romance na dose certa. Ele não atrapalha a trama e sim anda junto com ela sem desviar o foco da distopia. Estou ansiosa para o próximo.

    Beijos

    http://poesiasprosasealgomais.blogspot.com.br/

  5. Meu Deus, curto muito seu jeito de escrever, flor. *3*
    “Veronica Roth pegou todos os estereótipos de gênero fez picadinho, pisou em cima e depois tacou fogo.” —- Ri sozinha com esse comentário. Superlegal ler a sua opinião sobre uma obra da qual já li tantas resenhas e NUNCA vi uma que sequer mencionasse esse fato. Isso torna você uma leitora diferente, flor, capaz de seguir na contramão do que geralmente fazem.
    Espero que meu blog tenha um pouco dessa sua “pitada” também (rs). Adoro!
    Com certeza lerei o livro, ainda não o li. Mas já o tenho, haha.
    Beijos =*

    http://www.myqueenside.blogspot.com

  6. Oii!
    Agora entendo porque essa série fez tanto sucesso: os elementos são muito interessantes!
    Confesso que não havia dado muita importância a esses livros, mas lendo sua resenha, cheguei à conclusão de que vou adorar…
    Beijos
    Meu Meio Devaneio

  7. Fiquei com vontade de passar essa saga pro inicio da minha lista. Outro livro que quero ler antes do filme ser lançado. Estou na espera desse filme só para ver a Shaileene Woodley (atriz que conheço da série The Secret Life of American Teenager), tá que na série acho ela um porre, mas confesso que é boa atriz. E ela também está no elenco de A Culpa é das Estrelas, como a principal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: